Com o emplacamento de 902.688 veículos (incluindo automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus) a indústria automobilística garantiu no quadrimestre o segundo melhor resul-tado de vendas de todos os tempos. A diferença para 2008 (909.195 unidades) – o melhor ano do setor automotivo – é de 6.507 unidades, o que representa uma redução de apenas 0,72%. Anualizadas, as vendas de maio de 2008 a abril de 2009 somam 2,813 milhões de veículos

 Em abril, com apenas 19 dias úteis, as vendas superaram as estimativas, ao fechar com 234.426 veículos. O total de veículos vendidos no dia 29 (15.391 unidades) e no dia 30 (17.317 unidades) foram muito acima da média diária, que registra 11 mil unidades.

 Outro fator positivo é a quantidade de veículos que ficaram estocados nas fábricas e nas concessionárias – 160 mil unidade. Março fechou com 165 mil veículos no estoque. “Com a explosão nas vendas em março, por causa da expectativa de manter o corte no IPI, não se espera que as vendas superassem 200 mil unidades em abril”, comentou analista do mercado. “Se não fossem os feriados, o resultado seria igual a março, que vendeu 271 mil unidades”.

 “Com a ajuda do IPI, que garantiu redução nos preços, promoções das montadoras e a redução nas taxas de juros, a indústria automobilística está conseguindo enfrentar a turbulência da crise mundial, com vendas estáveis no mercado nacional”, afirmou Wilson Rocha, diretor de vendas e engenharia da TRW Automotive.

 Mercado de caminhões

 No mercado de caminhões, as vendas totalizaram 8.224 unidades em abril, volume 3% menor em relação a março (8.480), segundo dados preliminares do mercado.

 Mesmo com um volume menor em relação a março o emplacamento de abril foi o segundo melhor da história para o setor de caminhões . Em relação a 2008 o volume ficou 23% abaixo, porém apresentou ganho de 11% sobre 2007.

 A Mercedes-Benz emplacou 2.300 caminhões e ficou com 28% de participação. A Volkswagen vendeu 2.298 caminhões e sua fatia foi de 27,9%. A Ford licenciou 1.581 unidades e ficou com 19,2%. A Iveco vendeu 471 unidades e 5,7% do mercado. A Scania 728 unidades e 8,8%.

 Inadimplência

 Segundo a Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef), de janeiro a março 53% das vendas de caminhões ocorreram por meio de Finame, 21% por leasing, 12% por CDC, e 3% por meio de consórcio. Já as vendas de automóveis nos três primeiros meses do ano 59% foram a prazo. A inadimplência geral acima de 90 dias em março permaneceu em alta, chegando a 5,1% Em fevereiro, estava em 4,8%.

Fuente: Gazeta Mercantil (05/05/09)