A redução do IPI e a maior oferta de crédito ajudaram a recuperar as vendas de veículos novos no país em janeiro. Levantamento da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) divulgado ontem mostra que no mês passado foram licenciados 158.250 automóveis (passeio e comerciais leves), número 5,11% maior que os 150.560 de dezembro. Frente a janeiro de 2008, contudo, houve retração de 6,74%. Mas muitos modelos – dos mais populares aos mais caros – estão em falta em concessionárias, com fila de espera, o que indica que as montadoras erraram a mão na freada na produção nos últimos dois meses, com milhares de trabalhadores em férias coletivas. Em revendedoras, até 90% dos modelos estão sem previsão de entrega.

Nas lojas ouvidas pelo GLOBO a entrega só começará a ser normalizada após o carnaval. Na Squadra Rio, da Fiat, cerca de 90% dos modelos estão em falta. Entre os mais procurados estão os modelos de duas portas, como o Palio Fire, de R$29,5 mil, e Uno Mile, de R$27 mil. Segundo Soraia Gonçalves, vendedora da rede, há cem clientes à espera:

Como a fábrica voltou a funcionar no dia 20 de janeiro, a situação só será normalizada no fim deste mês. Estamos pedindo os modelos e esperando.

Na América Barra Rio, concessionária da General Motors, o tempo de espera tem sido de 15 a 20 dias pelos modelos como o Classic Spirit (R$28,5 mil) e o Classic Life (R$27,5 mil), em falta na rede desde o início do ano.

– A demanda hoje é maior que a oferta. Como as montadoras deram férias coletivas aos funcionários, se verifica agora a falta de alguns modelos – ressalta Alessandro Muller, da América Barra Rio.

Enquanto algumas concessionárias tentam segurar os clientes com a fila de espera, em outras a situação é pior. É o caso da Disbarra, da Volkswagen. Na revendedora, modelos como o Voyage, o Jeta e o Bora estão sem previsão de entrega da fábrica. Além disso, revela Cristiano Moreira, vendedor da concessionária, já faltam cores de diversos modelos, como o Gol e o Fox.

– Perdemos várias vendas. Para alguns modelos nem temos fila de espera porque a fábrica não dá previsão de entrega – diz Moreira.

Montadoras negam desabastecimento

Pereira Silva, da concessionária Azurra, da Peugeot, diz que as vendas ganharam fôlego, e a oferta de produtos não tem conseguido atender à demanda.

– Os modelos mais sofisticados, como Logan (de R$34.990) e o Sandeiro (de R$37.490), estão em falta. E há fila de espera – diz Pereira.

Em São Paulo, na rede Sabrico de concessionárias da Volkswagen, uma das maiores revendas da marca no estado, os modelos Voyage Confortline e Gol básico estão com filas de até cem pessoas. Para o Voyage, lançado em setembro, a espera para receber o carro é de até 90 dias. Na filial da Sabrico da Marginal Tietê, cerca de 70 pessoas esperam pelo Voyage e 30 pelos modelos mais básicos do Gol. Mas a montadora negou que haja fila de espera para seus modelos.

“O que pode ter ocorrido é que, quando o consumidor escolhe um carro com mais opcionais, e cores especiais, tenha ocasionado um atraso de dez a 15 dias. Isso não caracteriza uma fila de espera”, afirmou a montadora em nota. General Motors e Ford não comentaram o assunto. A Fiat também negou que haja qualquer “anormalidade no abastecimento”.

– As férias coletivas concedidas aos funcionários das montadoras entre o fim de 2008 e início de 2009 foram uma forma de adequar a produção à demanda e não desabastecer o mercado de veículos – disse um porta-voz da empresa.

A Fenabrave atribui ao aquecimento das vendas às reduções de IPI e IOF e à liberação de crédito para Banco do Brasil e Caixa. Mais afetadas pela crise no país, as vendas de caminhões e ônibus recuaram em janeiro 24,45% e 35,33% em relação a dezembro, respectivamente.

Fuente: O Globo (05/02/09)